Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SIMplex

SIMplex

31
Ago09

Direitas com e sem programa

Carlos Manuel Castro

O maior partido da oposição é o PPD, e aspira a governar, faz de conta que tem uma espécie de programa de Governo. O partido mais pequeno da oposição de direita, o CDS, que não tem as mesmas capacidades nem a mesma base de apoio do maior partido da direita nacional, o PPD, tem um programa. Como se percebeu do que ontem foi anunciado por Paulo Portas em Tomar.

 

Será que o PPD, que pretende liderar Portugal, e a governar só o deveria conseguir com o CDS, seguirá as linhas mestras de Paulo Portas... que tanto critica o PS, como, de certo modo, o PPD?

 

O debate entre Ferreira Leite e Paulo Portas será merecedor de atenção, uma não sabe ao certo o que propõe, o outro sabe o que não quer.

 

30
Ago09

Louçã faz política como quem brinca ao monopólio

Carlos Manuel Castro

Abandonando a leitura trostkista (PSR) e com um pensamento bem hoxista (UDP) - isto é, deixa de ser ter uma visão global e apenas uma nacional, Francisco Louçã acaba de apresentar, em Cacilhas, a sua política para estas legislativas. Distante da realidade nacional e sem consideração da circunstância internacional.

 

Em primeiro, o BE afirma-se contra o PS. Depois, condena o PPD. Numa lógica de querer afirmar que ambos são iguais, como se votar no PS fosse o mesmo que votar no PPD.

 

Como já se percebeu, e sabe, o PS não quer enfraquecer o importante papel da intervenção pública nem condicionar a liberdade individual de cada um, como Ferreira Leite ainda hoje defendeu em Castelo de Vide.

 

Por outro lado, Louçã esconde toda a base de financiamento das posições do BE: sacrificar os contribuintes e impedir qualquer base de progresso das empresas, qualquer que seja a dimensão. Ou seja, limitar a criação de emprego.

30
Ago09

Os ensinamentos da realidade que a oposição não quer perceber

Carlos Manuel Castro

Paulo Portas apresenta o programa do CDS hoje à tarde.

 

Merece atenção o debate de propostas que se fará à direita, nomeadamente em áreas nevrálgicas como a Saúde, a Educação e a Segurança Social.

 

Em 2005, Portas, sob uma forte inspiração de Pires de Lima, procurou valorizar o privado, em detrimento do público nestes domínios.

 

Há poucos dias, Ferreira Leite apresentou as suas linhas estratégicas, que visam a privatização destes sectores. Um pouco na lógica do proposto por Paulo Portas em 2005.

 

Será que o CDS vair ser mais arrojado? Pelo menos, terá de marcar diferenças do conteúdo programático do PPD.

 

Estes programas da direita nacional revelam o óbvio: PPD e CDS não quiseram aprender com nada da crise que afectou o mundo nos últimos tempos. Tal como o PCP nada quis entender, até hoje, quanto ao porquê do fim do modelo soviético.

28
Ago09

Ainda o TGV, das oposições, do futuro e do passado

Carlos Manuel Castro

(...) be clear .... in government, we'd always stand up for the passenger.

High Speed Rail

But there's one really big change I want to talk about today.

So often in this nation's history, new transport links have helped push forward progress and prosperity.

In the 19th century it was the steam locomotive.

In the 20th, it was our motorways and airports.

In today's world, I believe it can be high speed rail.

Earlier this year, the UK's first 68 mile stretch of high speed rail opened from the Channel Tunnel.

That's great - but it's thirty years behind France.

By 2020, the European high speed network will have reached 15,000km .....

...... linking major cities as far away as Sweden, Italy and Poland.

Well I believe the time has come for us to start catching up

.... to lay the foundations for a high speed future for Britain.
The benefits are clear.

 

Num comentário publicado mais a baixo, o Hugo (Mendes) chamava a atenção para a projecção do TGV entre Londres e Glasgow.

 

É interessante tomar conhecimento desta proposta no Reino Unido, pois há um ano, uma deputada conservadora, Theresa Villiers, acusava o Governo trabalhista britânico de estar aquém no que diz respeito ao investimento na alta velocidade (como acima se comprova). Até porque, como o argumento lógico que apresenta, os comboios têm sofrido evoluções ao longo dos séculos. E, como diz Villiers, os novos transportes fazem progredir e avançar as comunidades que apostam nos novos modelos.

 

No Reino Unido, a oposição, com mais objectividade, acusa o Governo de fazer pouco em matéria de TGV. Tendo, também, em consideração o panorama europeu. Do qual nenhum país, seja membro ou não da UE, se pode dissociar. Cá, a oposição não quer o TGV.

 

Este é um investimento, como se pode deduzir das dinâmicas que o TGV está a gerar na Europa, que não pode ser adiado. Mas, ao fim e ao cabo, esta postura dos diversos partidos portugueses nesta eleição legislativa, face ao TGV, é clarividente quanto a quem quer futuro e desenvolvimento para Portugal e quem pretende atraso e estagnação.

28
Ago09

As linhas do TGV

Carlos Manuel Castro

                    

 

Vários países europeus já apostaram, e continuam a investir, no TGV.

 

Do ponto de vista geográfico, podemos observar que no lado ocidental há uma lacuna. A única, a do nosso País. Que o PS quer terminar e a oposição faz questão de manter.

 

A ter em conta, ainda, o apoio e entusiasmo da Comissão Europeia. Um meio de transporte mais rápido e amigo do ambiente.

 

Há uma dimensão ecológica nesta matéria amiúde esquecida, mas não pode ser desconsiderada. Se queremos, efectivamente, contribuir para a melhoria do ambiente.

 

Por outro lado, no final do século passado, o debate que a oposição ainda hoje não quer realizar em Portugal sobre este assunto, de encarar o TGV como motor de desenvolvimento, já movimentava e dinamizava a Europa Central.

25
Ago09

Os atestados do costume

Carlos Manuel Castro

Jerónimo de Sousa acredita que política de direita de Sócrates pode derrotar o PS

 

O camarada Jerónimo continua com a mesma leitura de 74 e 75. Para o PCP, o PS é, foi e será, sempre, um partido de direita.

 

O que Jerónimo de Sousa quer esquecer, e jamais reconhecer, é que as políticas sociais do nosso País foram criadas, e aprofundadas, pelo PS. Como os últimos quatro anos demonstram. Do Salário Mínimo à Saúde, da Educação à Igualdade de Oportunidades. 

 

O PS nunca passou, nem passa, atestados ideológicos a ninguém, ainda que o PCP e o BE se armem em notários da doutrina. Mas o PS também não dispensa as suas convicções nem princípios. Por que outros estejam mais interessados em servir unicamente a ideologia, o PS tem princípios para servir as pessoas.

24
Ago09

As esquerdas que fazem questão de ser irresponsáveis

Carlos Manuel Castro

O Afeganistão produz 93% da matéria-prima para a heroína, o ópio extraído da papoula, e os estimados US$ 5 bilhões anuais obtidos com o comércio são a principal fonte de financiamento do Taleban

 

PCP e BE reclamam-se como a esquerda genuína e autêntica, mas na mania das verdades, como Ferreira Leite, encontram-se nódoas que desmentem os pretensiosos moralismos que tanto apregoam.

 

Se fossem uma esquerda fiel aos seus princípios seculares, uma das primeiras causas a abraçar seria a do internacionalismo (algo que o estalinismo castrou e entende-se, por este motivo, a posição nacionalista do PCP, mas não a trotskista lusitana do BE),

 

Porém, a visão míope e paroquial de ambas as formações conduz a uma postura de irresponsabilidade, desprezando, por um lado, um princípio caro à esquerda - o internacionalismo, e, por outro, a importância de uma intervenção das forças militares internacionais no Afeganistão, nas quais se inclui a portuguesa.

 

A condenação veemente que PCP e BE fazem à participação dos nossos militares no Afeganistão comprova o total sentido de compromisso que têm para com a Segurança e a Saúde Pública: desdém.

 

Há intervenções que são complexas, penosas até, mas indispensáveis para o nosso interesse nacional.

21
Ago09

Mais um ao serviço de Sócrates

Carlos Manuel Castro

O 'chairman' da Reserva Federal (Fed) dos Estados Unidos afirmou hoje que a actividade económica mundial está a estabilizar, sendo possível um regresso ao crescimento no curto prazo.

 

Aguarda-se a todo o momento que Aguiar Branco faça uma conferência de imprensa para dizer que Ben Bernanke está ao serviço de Sócrates, pois não há (não pode haver para Manuela Ferreira Leite) qualquer melhoria na economia.

20
Ago09

A política de verdade

Carlos Manuel Castro

A entrevista de Ferreira Leite, hoje, à RTP, serviu, uma vez mais, para perceber que a líder da oposição não tem uma visão nem proposta para o País.

 

A líder do PPD limitou-se a apresentar duas teses: 1) é contra os grandes investimentos ; 2) defende pequenos investimentos: escolas, hospitais e reabilitação urbana.

 

Se no primeiro ponto não especificou quais eram os grandes investimentos, para que ficasse claro, de uma vez por todas o que rejeita: TGV, aeroporto (da terceira estrada Lisboa Porto que referiu nem vale a pena falar, pois tal como o TGV, foi o seu Governo que lançou o projecto de vários lanços rodoviários), no segundo, de duas uma, ou Ferreira Leite não sabe o que se passa em Portugal ou despreza. Quanto a escolas, nunca, como hoje, foram investidos tantos milhões na requalificação do parque escolar. A nível dos hospitais, são muitos os novos que estão a ser lançados. E quanto a reabilitação urbana, é preciso topete para falar no assunto, quando foi o seu partido que em Lisboa rejeitou a reabilitação da cidade.

18
Ago09

Investir na Saúde

Carlos Manuel Castro