Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SIMplex

SIMplex

31
Ago09

(post-it 25) 20 pilares da família que Sócrates destruiu

João Paulo Pedrosa

1 – O investimento em equipamentos sociais que enquanto Manuela Ferreira Leite foi membro do governo diminuiu de 61 M€ para 19 M€;

2 – O investimento em equipamentos sociais enquanto José Sócrates é primeiro-ministro aumentou de 19 M€ para 212 M€;

3 – Construção de 411 creches que representam mais 18 414 lugares para crianças dos zero aos 3 anos de idade;

4 – Abono pré-natal para grávidas e aumento exponencial desta prestação aos que mais necessitam;

5 – Aumento do tempo da licença de maternidade e paternidade;

6 – Complemento de reforma (Solidário) para Idosos;

7 – Construção de 189 centros de dia para convívio de idosos;

8 – Construção de 191 lares para institucionalização de idosos;

9 – Criação de 176 serviços de apoio domiciliário;

10 – Criação de 18 653 lugares para idosos em instituições;

11 – Construção de 93 centros de apoio a cidadãos com deficiência;

12 – Criação de 1 430 lugares para institucionalização de cidadãos com deficiência;

13 – Criação do projecto escola a tempo inteiro no 1º CEB com Inglês, educação musical;

14 – Alargamento da acção social escolar no 1º, 2º e 3º Ciclo do Ensino Básico indexada ao abono de família;

15 – Serviço generalizado de refeições escolares no pré-escolar e 1º CEB;

16 – Implementação de aulas de substituição para ocupar os alunos durante as faltas dos professores;

17 – Criação de um plano individual de apoio à matemática para alunos com insuficiências de aprendizagem;

18 – Criação de equipas técnicas especializadas para as comissões municipais de protecção de crianças e jovens em risco (CPCJ);

19 – A criação destas respostas sociais resultou num volume de investimento total de 424 M€, com a criação de milhares de postos de trabalho;

20 – José Sócrates não considera que o casamento e a constituição de família é apenas para a procriação;

31
Ago09

(post-it 24) Bumerangue

João Paulo Pedrosa

Um dos parvenu de Manuela Ferreira Leite questiona, e bem, o caminho de cedências civilizacionais, em alguns países europeus acossados com o predomínio de valores conservadores, de pendor religioso e moral, na organização da vida social. Nem de propósito, aspalavras de MFL hoje, no encerramento de um comício partidário, têm nele um efeito de bumerangue.

Cito:
"Talvez o crescimento dessas coisas, sob o olhar compreensivo dos nossos tolerantes cosmopolitas, devolva aos europeus (portugueses) o gosto pela liberdade e, sobretudo, o respeito por ela".
Nem mais!
29
Ago09

(post-it 21) No Izvestia não há Pravda e no Pravda não há Izvestia

João Paulo Pedrosa

No programa do PSD o grande suporte das propostas de redução da receita fiscal é o despedimento de 200 mil funcionários públicos. Dito por outras palavras, acabar com os serviços públicos de saúde, educação e prestações sociais e substitui-los por agentes privados e outsourcing.

No programa do PSD omite-se também que ao prescindir do investimento público o desemprego em vez de diminuir, aumenta.
No programa do PSD não há, portanto, verdade nem novidade.
Aqui não há entusiasmo, aqui regista-se a ocorrência e Manuela Ferreira Leite só quis os debates propostos por Louçã, Portas e Jerónimo.
Política de Verdade, lembrem-se! 
27
Ago09

Credibilidades Educativas e currículos a sério

Bruno Reis
programa eleitoral do PSD deixa em cómodo silêncio uma questão essencial que seria bom que MFL, o PSD e o Jamais verdadeiramente esclarecessem: comprometem-se a não transferir dinheiro do sistema de educação público para o sistema de educação privado?
 

Mas o Jamais  não disse jamais

 

26
Ago09

(post-it 20) Le bons esprits se rencontrent

João Paulo Pedrosa

O investimento público é, generalizadamente reconhecido pelos especialistas internacionais, um instrumento decisivo de recuperação da crise económica. A excepção a este entendimento é Manuela Ferreira Leite que o considera apenas uma despesa, chamando-lhe, com desprezo, simples despesa de capital. A verdade é que sem investimento público, o desemprego aumentaria ainda mais e a economia afundar-se-ia irremediavelmente.

O TGV, por exemplo, é uma obra financiada em muitos milhões de Euros pela União Europeia e é uma grande oportunidade de negócio para muitas empresas portuguesas, aumentando, em consequência, o número dos postos de trabalho e a riqueza nacional.
Para que a abordagem destes assuntos não fique confinada a discussões etéreas, cito três empresas portuguesas que empregam milhares de trabalhadores – esta, esta e esta, por exemplo – que cresceram na oportunidade dos investimentos públicos, internacionalizando-se e para quem este investimento na ferrovia é uma grande oportunidade para voltarem a crescer e a fortalecer-se ainda mais.
Não se percebe, pois, como pretende Manuela Ferreira Leite fazer diminuir o desemprego se nega às empresas a possibilidade de valorizarem e aumentarem os seus negócios.
A menos que a líder do PSD se tenha rendido aos encantos de Francisco Louçã e pretenda criar empregos por decreto.
 
24
Ago09

(post-it 18) A face

João Paulo Pedrosa