Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

SIMplex

SIMplex

04
Ago09

O Bloco e Marx

João Galamba

A crítica Marxista ao Capitalismo pressupõe uma certa noção de crítica (crítica imanente) e uma determinada visão da história. Mas Louçã abandonou esse caminho e optou por uma espécie de crítica fundada na denúncia moral. O problema do socialismo-moralista de Louçã é a sua absoluta desconsideração pelas condições de possibilidade da concretização do seu ideal político. Por outras palavras, mantêm-se os chavões de sempre, mas perde-se todo e qualquer contacto com a realidade. Para Marx, o comunismo seria um potencial reprimido interno ao próprio capitalismo; mas o capitalismo não podia ser entendido como um erro ou uma aberração moral. Quando se abandona o horizonte revolucionário e a frase "superação do capitalismo" deixa de fazer sentido, um Marxista transforma-se automaticamente num moralista e entra no campo da religião. A denúncia de tudo e de todos, a visão conspirativa da realidade, a pureza moral face a uma realidade decadente, a negação abstracta do capitalismo - tudo isto representa uma perversão do pensamento de Marx. No fundo, Louçã é um líder religioso. Se não concordam, sugiro que leiam a Ideologia Alemã. Está lá tudo.

5 comentários

Comentar post