Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

SIMplex

SIMplex

27
Jul09

Coisa feia, a inveja (2)

André Couto

O Tiago Moreira Ramalho respondeu rápido ao meu post.

 

Mantenho a convicção que Hermínio da Palma Inácio é património histórico do Partido Socialista tal como é património do País, ao contrário do que diz o Tiago. Os Partidos são feitos por pessoas, não vislumbro o que mais possa ser seu património que os feitos dos seus militantes e daqueles que lutaram na sua estrutura.

O Tiago acusou-me de o associar ao PSD e de cair no soundbyte de ligar os democratas liberais ao fascismo. Estranho pois não falo sequer no PSD, não faço alusão a militância sua e nada do que escrevi se aproxima do tal soundbyte. Falo em inveja da direita, nada mais. Essa suspeita que muita direita tem é estranha, às vezes parece o enfiar de um barrete que nem é estendido. Neste ponto não é o caso do Tiago.

Mais desiludido fiquei quando o Tiago citou de forma perversamente parcial um período do meu post. Isso é feio. O que digo e repito é que, ao tempo, Hermínio da Palma Inácio merecia nomeação, eleição, bem como receber múltiplas honras (e não apenas nomeação) e a acompanhar fiz uma análise do contexto político pós-25 de Abril, período a que António de Almeida Santos se referiu. Repito que com o 25 de Abril se substituíram os governantes depostos por uma nova geração. Assumiram as rédeas do País aqueles que mais lutaram e pugnaram pela desejada mudança, aqueles que, por feitos heróicos ou persistente resistência, decisivamente contribuíram para a ansiada Revolução. Foi algo natural e dificilmente poderia ter sido doutra forma.

É neste contexto (omitido pelo Tiago) que defendo que Hermínio Palma Inácio merecia ter sido nomeado, eleito ou devidamente honrado, tal como muitos outros foram. Parece-me que alguém com o seu perfil se enquadraria, naquele contexto, em múltiplas áreas da governação do País e das suas instituições. Estou certo que o Tiago não acha que António de Almeida Santos se referia a tempos recentes, é que Hermínio da Palma Inácio faleceu há duas semanas, mas com 87 anos...

 

Por fim o Tiago diz que o Estado não é do Partido Socialista, e que Hermínio da Palma Inácio também não é património do Partido Socialista. Sendo Hermínio da Palma Inácio património do País, como defende, não será obrigação do Estado reconhecer os valorosos serviços por ele prestados, num dos períodos mais difíceis da nossa história?

3 comentários

  • Imagem de perfil

    Hugo Mendes 28.07.2009

    «Ao contrário do que diz Maria de Lurdes Rodrigues, eu acho as pessoas mais importantes que a política»

    Tiago, da próxima aconselho-te a ler a entrevista toda e não os títulos. É que o título do DN é perfeitamente enviesado, porque o sentido real da frase - retirada que foi do contexto - é que as políticas são mais importantes que os MINISTROS, e não mais importante que as pessoas que são o alvo das políticas.
  • Calma Hugo Mendes, calma. Peço desculpa se pisei o calo, mas o humor também não é património da esquerda ;)

    Olha, e é de uma falta de ética incomensurável a malta meter-se na conversa dos outros. Ui, o que o Kant diria se visse isto!
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.