Por Bruno Reis | Quinta-feira, 27 Agosto , 2009, 18:54
programa eleitoral do PSD deixa em cómodo silêncio uma questão essencial que seria bom que MFL, o PSD e o Jamais verdadeiramente esclarecessem: comprometem-se a não transferir dinheiro do sistema de educação público para o sistema de educação privado?
 

Mas o Jamais  não disse jamais

e claramente prefere voltar ao assunto da credibilidade dos candidatos a Primeiro Ministro para falar de educação. Quem passou por uma universidade privada não passa nesse crivo do rigor e da verdade de que parece que o PSD e este seu blogue de apoio - com grande espírito democrático - se querem fazer donos exclusivos. Parece-me uma forma pouco séria de discutir o CV e as qualidades de José Sócrates. E é um paradoxo da nossa direita – parece que neste caso o privado é mau!

 

Mas resta saber o que tem (o tão exigente e rigoroso) Jamais a dizer do  CV de MFL para falar com verdade sobre a educação. Tanto quanto consegui saber a presidente do PSD, apesar de ter sido a melhor aluna do seu curso em 1966 no ISEG (um instituto público) e de aí ter leccionado até 1979, e de portanto não lhe faltarem capacidades para isso, nunca fez nem mestrado nem doutoramento. No entanto,a licenciada  (para sermos absolutamente rigorosos e verdadeiros com os títulos académicos como o Jamais tanto quer) Manuela Ferreira Leite presidiu ao Conselho de Administração do ISLA (uma instituição privada).

 

Devo concluir que de acordo com o Jamais  estas responsabilidades da actual líder do PSD no ensino superior privado a inibem de falar sobre educação? Eu estaria longe de tirar tal conclusão; o CV de MFL parece-me perfeitamente respeitável; até inclui publicações sobre o tema da educação; mas para os seus correligionários do Jamais - em verdadeira coerência de pensamento - parece que é um CV demasiado "privado", pelo menos para falar de educação!

 


Mário Cruz a 27 de Agosto de 2009 às 20:01
Decididamente para os adeptos do sr. Sócrates a vida começa e acaba nos subsídios do Estado.
Não entendem que os privados (a enorme maioria deste país) tem vida própria e não necessita de subsídios para nada.
Quando o estado se associa aos privados, para a saúde ou a educação, deve ser para aumentar a sua capacidade de intervenção e não para aumentar o número de bocas a comerem da gamela do Estado. É aqui que está a grande diferença de visão entre o PS e o PSD.

joaninha a 29 de Agosto de 2009 às 22:51
Vê-se nos jornais e na TV que ninguém pede subsídios.
Vê-se nos ataques dos pesudoagricultores.
Vê-se nos discursos de toda a oposição, em que só fala em ajudas (subsídios ) para tudo e mais alguma coisa.
Que ideia!... Em Portugal ninguém reclama por subsídios!.. E MFL não promete nenhuns subsídios.
Que ideia!...

De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Protocolos
comentários recentes
Ainda bem que procurei por ti na internet em geral...
A discussão sobre pagar a saúde de acordo com os r...
Espero que o José Sócrates faça um bom trabalho..
Boa tarde, gostava da vossa opinião.hoje dirigi-me...
EsclarecimentoA notícia é apenas sobre uma propost...
Venho por este meio relatar-vos uma situação que c...
Sou nova nestas andanças, da net (não em anos-57) ...
Obrigada pelos textos que nos deram a ler, a refle...
Estou de acordo com a ideia lançado por vocês impo...
Simplex , simplesmente. convido-os a visitarem o m...
já agora gostaria que observem uma iniciativa empr...
Estava a gostar deste blog...
Uma escrita muito pobre, na generalidade dos casos...
Estou numa dúvida: a oposição não foi eleita para ...
Posts mais comentados
88 comentários
50 comentários
44 comentários
43 comentários
38 comentários
36 comentários
27 comentários
25 comentários
arquivos
pesquisar neste blog
 
subscrever feeds

As imagens criadas pelo autor João Coisas apenas poderão ser utilizadas em blogues sem objectivo comercial, e desde que citada a respectiva origem.