Por O Jumento | Segunda-feira, 28 Setembro , 2009, 00:53


baladupovo a 28 de Setembro de 2009 às 01:48
Eis o Homem.

Mesmo em condições excepcionalmente difíceis provocadas pela Crise Mundial, com a necessidade de Reformas imprescindíveis para o país, com protestos sobretudo dos interesses corporativos que viram as suas regalias e privilégios ao fim de 30 anos postos em causa, mesmo com o ataque cerrado de todos os partidos da Oposição que visavam não as políticas mas sim o ataque pessoal a este Homem...o povo mostrou Bom Senso e disse claramente que é com o Ps e com José Sócrates que pretendem que Portugal VENÇA A CRISE MUNDIAL COM OS MENORES ESTRAGOS POSSÍVEIS.
É obra! Mas isto premeia a Determinação, a Energia que sempre passou para os portugueses e a Ambição por um país melhor, mais moderno e com mais justiça social.
Há sempre mais e melhor para fazer e o povo deu este sinal ao Ps. Estaremos concerteza à altura da tarefa e agora com mais responsabilização da Oposição, pois agora não há desculpas para dizer mal por dizer mal. Também eles terão oportunidade, não de paralizar o país mas contribuir para as soluções. E a solução não é paralizar, se o fosse o Ps não vencería. Saiu derrotada a política da paralização. Foram duramente..paralizados. Refiro-me, claro, à outra senhora. Foi paralizada.

Continuarei a dizer que Sócrates é o melhor 1º Ministro que apareceu em Portugal até prova em contrário. Assim que sairmos da 'tempestade perfeita' o tempo dar-me-á razão na confiança que deposito nele.
«I got a feeling»

Nuno Ribeiro Ferreira a 28 de Setembro de 2009 às 02:13
Força Sr Primeiro Ministro. Ganhou legitimamente e claramente estas eleições. Tem toda a permissão para "asfixiar" o país com o programa progressista, reformista, moderno, optimista e ambicioso com que venceu esta noite. Foi uma vitória de José Sócrates, do PS, de Portugal e da Esquerda, contra a política negativista, fantasiosa, retrógrada e demagógica da direita. The future is here!

Miguel Lopes a 28 de Setembro de 2009 às 11:46
culto da personalidade?

Francisca Bastos a 28 de Setembro de 2009 às 13:39
Muitos parabéns pelo Trabalho. Hoje é realmente um dia de festa. Eu própria já festejei ontem à noite :D.

Agora vamos às Autárquicas e esta sim é a minha luta! O PS ganhou em Oliveira de Azeméis o que, sendo inédito, mostra que realmente há hipótese de quebrar com os mais de 30 anos de PSD neste concelho!!

Francisca Bastos

Odete Pinto a 28 de Setembro de 2009 às 15:01
Sócrates, who else?

Nuno Pereira a 28 de Setembro de 2009 às 16:26
A vitória do PS, foi antes de mais a vitória de Sócrates!
Sócrates era o mal amado da política portuguesa.
Era o inimigo a abater por uma oposição que o escolheu como o alvo, para justificar o fim de um mito que durante quatro anos e uns meses, governou Portugal com a arrogância e agarrado a uma maioria sólida que lhe davam cobertura para governar a seu belo prazer.
Tudo isto eram as cantigas diárias de uma oposição, embalada pelos resultados das Europeias, que lhe elevaram a certeza da queda de Sócrates e toca a malhar no pobre do homem que verdade se diga, sempre mostrou que tinha as costas largas para aguentar todos os sopapos vindos da boca dos esquerdistas radicais e da direita odiosa.
Sócrates venceu e o PS convenceu!
Sócrates venceu os líderes da oposição que já se perfilhavam de peito feito, numa de notoriedade e peso político, vangloriando-se na escusa de um possível aperto de mãos para pontuais acordos, pensando que o povo se iria levar num projecto de radicais medidas que à partida iriam se esgotar no lirismo de governar uma nação!
Sócrates venceu o ódio de uma direita que embandeirou em arco pelo resultado de umas eleições (Europeias) autêntica armadilha para que a lebre caísse no covil da raposa. E se esqueceu que muitos Socialistas se reservaram para que um abanão ao PS seria o adormecer da direita à sombra de um resultado tão festejado, mas como se vê agora, de nada lhes valeu porque o abismo ficou ali tão perto, às 20 horas com as projecções de uma certeza que caiu como uma bomba.
Os socialistas acorreram em peso e deram mais uma vitória ao seu partido e guindaram o seu líder ao alto pedestal de uma noite que ele soube merecer.
Mereceu porque recuperou a confiança dos Socialistas indecisos. Que sem essa confiança iriam ficar em casa e oferecer a vitoria a quem pouco ou nada fez para a obter.
Mereceu porque se preparou de forma brilhante, mostrando que é neste momento o melhor político português, no afrontamento com os demais líderes em debates que mostrou a sua capacidade e desde aí abriu o caminho para uma campanha a todos os níveis espectacular.
Não é todos os dias que um líder se vê a recuperar de uma diferença que fez grande mossa e muitos já previam o seu fim prematuro, em eleições bem recentes (Europeias), para uma vitória de maioria relativa passados simplesmente três meses.
Por isso era natural a satisfação de Sócrates quando enfrentou os seus apoiantes e os socialistas em geral.


Rui Miguel Neto Pedrosa de Magalhães a 29 de Setembro de 2009 às 11:07
... Soa-me a paranóia.

Protocolos
comentários recentes
Ainda bem que procurei por ti na internet em geral...
A discussão sobre pagar a saúde de acordo com os r...
Espero que o José Sócrates faça um bom trabalho..
Boa tarde, gostava da vossa opinião.hoje dirigi-me...
EsclarecimentoA notícia é apenas sobre uma propost...
Venho por este meio relatar-vos uma situação que c...
Sou nova nestas andanças, da net (não em anos-57) ...
Obrigada pelos textos que nos deram a ler, a refle...
Estou de acordo com a ideia lançado por vocês impo...
Simplex , simplesmente. convido-os a visitarem o m...
já agora gostaria que observem uma iniciativa empr...
Estava a gostar deste blog...
Uma escrita muito pobre, na generalidade dos casos...
Estou numa dúvida: a oposição não foi eleita para ...
Posts mais comentados
88 comentários
50 comentários
44 comentários
43 comentários
38 comentários
36 comentários
27 comentários
25 comentários
arquivos
pesquisar neste blog
 

As imagens criadas pelo autor João Coisas apenas poderão ser utilizadas em blogues sem objectivo comercial, e desde que citada a respectiva origem.