Por Miguel Abrantes | Segunda-feira, 21 Setembro , 2009, 21:00


 


Um leitor do CC chama a atenção para as seguintes coincidências temporais:



    17 de Abril de 2008 — Luís Filipe Menezes demite-se da liderança do PSD;

    22 de Abril de 2008 — Manuela Ferreira Leite anuncia, em comunicado escrito enviado à Lusa, que é candidata à liderança do PSD;

    23 de Abril de 2008, de manhã — Fernando Lima (porta-voz do Presidente da República) encontra-se com Luciano Alvarez (editor do Público), a pedido de Cavaco Silva, num café discreto da Avenida de Roma para “encomendar” uma notícia falsa e supostamente comprometedora para o Governo.

    Ainda a 23 de Abril de 2008 — Luciano Alvarez envia o e-mail a Tolentino de Nóbrega (correspondente do Público na Madeira), por forma a que a inventona de Belém parecesse ter sido desencadeada por Alberto João Jardim.

Então, só rapaziada do Santana é que conspirava? Que tem Pacheco Pereira a dizer sobre isto?


Abilio Machado a 21 de Setembro de 2009 às 22:28
Oh,meus amigos:Então não ouviram agora o Crespo na SIC- N ?
O inefável Crespo convidou(sem direito a contraditório)a inefável Mª João Avilez para fazer rebentar uma nova bomba : declarou ela que há uma segunda fonte em Belém .
O Lima terá sido o responsável pelos contactos com o Público há 17 meses atrás,mas a fonte originária da recente manchete do Público será outra.
O que lança a suspeição : terá Cavaco demitido o homem certo?
Se se provou que não houve escutas e se há outra fonte a passar notícias para o Público(por quê sempre o Público?A Autoridade da Concorrência não entra aqui?),a procissão ainda vai no adro.Adivinha-se mais tormenta para os lados de Belém.
Foi patético ver o Crespo,com o seu ar arrogante travestido de modéstia ou a sua auto-suficiência mesclada de timidez,nunca afirmando mas sempre insinuando,a acolitar as atoardas fantasiosas da Avilez .
E quem nos cabe a seguir? A irmã sempre-em-pé Maria José (da Extrema-Direita)Nogueira Pinto.
Foi a duas em uma : e via-se mesmo que não tinham conversado sobre nada,as duas!
Adeus,Pinto Balsemão,p'ra nunca mais.
Publico há muito que nunca mais! Agora é o Expresso!
Nunca mais!!!

João Araújo a 22 de Setembro de 2009 às 02:21
E, também, em 25 de Abril, Paulo Rangel inaugura a clautrofobia democrática, depois transformada em asfixia, não fosse a Dra. Manuela Ferreira Leite não conseguir dizer "claustrofobia"

Misugi a 22 de Setembro de 2009 às 14:47
" ...a pedido de Cavaco Silva...para encomendar uma noticia falsa e supostamente comprometedora para o Governo..."

Anda gente bem informada para saber que foi o Presidente da Republica a "encomendar" a notícia ! Quem lhe disse?

Parece elementar...quem acusa é que deve de demonstrar a culpa, as sapiências que tanto sabem da "encomenda" é que devem de provar ! Mas duvido que o consigam...mas espero que o PR esclareça as almas atormentadas...

Comprometer o governo ? É fácil...basta estar calado...o Governo "enterra-se" sozinho, não precisa de "noticias falsas", bastam as verdadeiras!

Protocolos
comentários recentes
Ainda bem que procurei por ti na internet em geral...
A discussão sobre pagar a saúde de acordo com os r...
Espero que o José Sócrates faça um bom trabalho..
Boa tarde, gostava da vossa opinião.hoje dirigi-me...
EsclarecimentoA notícia é apenas sobre uma propost...
Venho por este meio relatar-vos uma situação que c...
Sou nova nestas andanças, da net (não em anos-57) ...
Obrigada pelos textos que nos deram a ler, a refle...
Estou de acordo com a ideia lançado por vocês impo...
Simplex , simplesmente. convido-os a visitarem o m...
já agora gostaria que observem uma iniciativa empr...
Estava a gostar deste blog...
Uma escrita muito pobre, na generalidade dos casos...
Estou numa dúvida: a oposição não foi eleita para ...
Posts mais comentados
88 comentários
50 comentários
44 comentários
43 comentários
38 comentários
36 comentários
27 comentários
25 comentários
arquivos
pesquisar neste blog
 

As imagens criadas pelo autor João Coisas apenas poderão ser utilizadas em blogues sem objectivo comercial, e desde que citada a respectiva origem.