Por Tiago Barbosa Ribeiro | Segunda-feira, 21 Setembro , 2009, 18:55

A demissão de Fernando Lima confirma a falsidade das suspeições alimentadas contra o PS, num espantoso conluio entre altas figuras do Estado e um jornal diário. As demissões, obviamente, não se vão ficar por aqui. Mas neste momento importa sobretudo analisar as consequências políticas destes dois meses de «escutas» ficcionadas, numa campanha criada e alimentada para atingir o PS. Uma campanha, vejam lá, absolutamente negra.

 

O PSD, que foi o partido que mais cavalgou nesta história, devia corar de vergonha sempre que ousar falar de «asfixia democrática». A principal asfixia democrática que vivemos está na forma como o principal partido da oposição é incapaz de fazer política de forma ética.

 

Simultaneamente, Cavaco Silva terá também de assumir as suas responsabilidades. Durante todo este tempo, deixou que se instalasse uma ideia pastosa que incluía escutas, serviços secretos e o partido do Governo. A forma como lidou com este caso foi absolutamente desastrosa e, claramente, atinge a credibilidade da Presidência da República.

 

A sua inacção foi um facto incontornável desta campanha eleitoral. Perante a demissão de um colaborador da sua confiança há mais de duas décadas, o silêncio de Cavaco acaba por tornar-se intolerável. Para quando uma declaração ao país ou uma acção perante o país?


Eduardo Gravanita a 21 de Setembro de 2009 às 19:55
Primeiro, tentaram associar Ferro Rodrigues ao processo da Pedofilia. Depois, cozinharam o Freeport. Não satisfeitos com a capacidade anímica de J. Sócrates para resistir durante 5 anos às vicissitudes dum processo investigado em praça pública, fabricaram agora, com a ajuda de Belém a "estória das escutas". A tal trama que, segundo eles, "seria difícil de montar, mas se se conseguisse, seria a bomba atómica". Ora, a bomba atómica rebentou-lhes nas mãos. É este PSD, capaz de destruir pessoas e Instituições (agora foi a credibilidade da Presidência e do Público) que se apresenta a eleições. O PSD quecontrola e manipula da pior forma Órgãos de Comunicação Social (vide Público e TVI) é, afinal, o que tanto agita o tema da "asfixia democrática". Toda a gente já percebeu. O veredicto será lido no dia 27.

O Apolítico a 21 de Setembro de 2009 às 20:15
Cavaco Silva tem que se demitir hoje, nao tem outra saída, isto é terrorismo de Estado, coisas destas deviam ser consideradas crime, (se é que nao sao), há que tirar responsabilidades civis e criminais desta conspiracao, o que espera a Procuradoria Geral da República para abir um inquérito com carácter de urgência, para desmontar este ataque terrorista vindo da Presidência da República ao Governo de Portugal?

José Sócrates tem toda a razao quando diz que é alvo de uma campanha negra, de facto é um ataque terrorista perpretado pelo próprio presidente da república, Cavaco Silva tem que ser levado perante um juíz, tem quer ser julgado criminalmente porque chefiou um golpe de Estado, será que sou só eu a pensar assim?

Protocolos
comentários recentes
Ainda bem que procurei por ti na internet em geral...
A discussão sobre pagar a saúde de acordo com os r...
Espero que o José Sócrates faça um bom trabalho..
Boa tarde, gostava da vossa opinião.hoje dirigi-me...
EsclarecimentoA notícia é apenas sobre uma propost...
Venho por este meio relatar-vos uma situação que c...
Sou nova nestas andanças, da net (não em anos-57) ...
Obrigada pelos textos que nos deram a ler, a refle...
Estou de acordo com a ideia lançado por vocês impo...
Simplex , simplesmente. convido-os a visitarem o m...
já agora gostaria que observem uma iniciativa empr...
Estava a gostar deste blog...
Uma escrita muito pobre, na generalidade dos casos...
Estou numa dúvida: a oposição não foi eleita para ...
Posts mais comentados
88 comentários
50 comentários
44 comentários
43 comentários
38 comentários
36 comentários
27 comentários
25 comentários
arquivos
pesquisar neste blog
 

As imagens criadas pelo autor João Coisas apenas poderão ser utilizadas em blogues sem objectivo comercial, e desde que citada a respectiva origem.