Por Porfírio Silva | Terça-feira, 08 Setembro , 2009, 09:58

 

Louçã ao Público: «A esquerda precisa de uma força para ter maioria e essa força não é o PS.» Resumo do jornal: «O Bloco de Esquerda não será governo sozinho. Mas o líder bloquista recusa nomear com quem fará alianças. Para já, exclui o PS da “maioria de esquerda”.»

Não sei qual de dois traços de Louçã é mais digno de nota agora que ele já se imagina primeiro-ministro.
Será o irrealismo? Sim, porque querer que destas eleições saia uma maioria de esquerda sem o PS...
Será a arrogância? Sim, porque dizer aos socialistas que eles não são esquerda... Quem lhe dá esse direito? O que o autoriza a querer ser jogador e árbitro ao mesmo tempo? Por que razão se arroga o papel de guarda da ortodoxia, da norma, da definição do que é ser de esquerda?

É tempo de avisar aqueles que esperavam que o BE ajudasse a renovar a esquerda: este homem vai desperdiçar os votos do Bloco em nome da sua ambição. Ele pode querer ficar na história como o primeiro líder trotskista deste mundo (e de qualquer outro) a ser primeiro-ministro. Mas uma "experiência histórica" desse calibre só interessa a meia dúzia de iniciados. E a nossa vida concreta interessa a todos nós.

tags: ,

Filipe Pereira a 8 de Setembro de 2009 às 10:45
Parabens pelo blog! Finalmente começamos a sair da "toca" parece que somos poucos a apoiar o melhor primeiro ministro dos ultimos 20 anos, mas afinal somos muitos e bons, rumo á maioria! Logo temos os debate...nao percam!

Zé dos Montes a 8 de Setembro de 2009 às 10:50
“porque dizer aos socialistas que eles não são esquerda... Quem lhe dá esse direito?” Os mesmos que classificam o PS como “esquerda democrática” por oposição aos outros partidos de esquerda. (http://dn.sapo.pt/inicio/opiniao/interior.aspx?content_id=1355594&seccao=M%E1rio%20Soares&tag=Opini%E3o%20-%20Em%20Foco)

Porfírio Silva a 8 de Setembro de 2009 às 15:20
É democrata quem defende a democracia e quem combate os que a atacam.
Não, não é democracia popular: é a "democracia formal" mesmo.
É uma questão que se resolve olhando para a história. Mas toda a história que o caro leitor parece desconhecer... não se aprende num blogue. Há livros, filmes, ... essas coisas que pode ir estudar se já não se lembra.

Joaquim Reis a 8 de Setembro de 2009 às 10:53
Nunca li coisa mais descabida, quem é que você se acha para afirmar que o PS é de esquerda? Quem é que você se acha para afirmar que Louçâ não tem o direito de achar que o PS não é de esquerda? Quem é que você se acha para avisar, seja quem for, sobre as actividades do BE? quem é que você se acha para achar que os outros andam eludidos e você não? Achei eu que nesta pré campanha já tinha ouvido tudo...

Porfírio Silva a 8 de Setembro de 2009 às 15:25
Eu? Quem sou eu? Sou um cidadão. E não me deixo intimidar.
Há alguns neste país que pensaram que nesta campanha eleitoral iriam intimidar os apoiantes do PS. Alguns andaram durante muitos meses a tentar que fosse quase proibido ser socialista, amigo de socialistas, simpatizante do governo, de Sócrates ou de qualquer rosa que por aí andasse. Mas falharam. Como este blogue, entre outras coisas, demonstra: somos nós que dizemos, porque assumimos a nossa cidadania e os novos controleiros ou inquisidores não nos assustam.
Talvez os que vêem o Bloco a fazer a figura do PRD/Eanes estejam, afinal, com o susto que queriam que os socialistas tivessem.

Méon a 8 de Setembro de 2009 às 12:06
Ok, o homem poder ser lunático. Mas eu estou fartinho dos terráqueos que nos têm governado.

Um dos problemas da nossa política parece-me ser o desajustamento dos Partidos.

O PS deveria tirar a palavra "socialismo" e pôr "social-democrata". O PSD deveria mudar para Democrata Cristão. O CDS não existe, é um homem mais uns meninos... O PCP finge que o muro de Berlim nunca existiu.

O BE é a única coisa nova que apareceu por cá. Das camadas urbanas mais esclarecidas? Ingénuo? Lunático?

. O PS não consegue passar a mensagem de que é de esquerda.Por isso há muita gente que não quer mais do mesmo. Os simpatizantes PS não podem ignorar isso.
A senhora Leite é uma anedota, ainda por cima já velha ( a anedota!- haja respeito pela idade!). Aliás, parece que o seguro de vida do PS é mesmo essa anedota, contada todos os dias aos portugueses, como ainda ontem na Madeira, com um Conselheiro de Estado a mandar-nos levar onde ele é que devia levar...

Ficar em casa no dia 27?




Porfírio Silva a 8 de Setembro de 2009 às 15:26
Espero que o "seguro de vida" do PS seja a inteligência dos portugueses: acalmada a espuma, vê-se quem fez coisas pelo progresso do país e quem só fez contra-vapor.

Joaquim Reis a 8 de Setembro de 2009 às 18:46
Lá está você a intuir que o se vota PS e o PS ganha e com maioria absoluta ou então vai ser o descalabro, como só o PS possa tirar o Pais do atoleiro onde o colocou, sim porque foi o PS mais o PSD e o CDS que colocaram o pais no atoleiro onde está, foram os únicos que governaram no pós 25 de Abril, acho que chegou a hora de afastar estes que nos têm governado, venham outros!

Porfírio Silva a 8 de Setembro de 2009 às 19:02
Queria dizer-lhe duas coisas.
Primeira: o facto de uma força política nunca ter tido oportunidade de fazer disparates na governação não quer dizer que lhe demos essa possibilidade. O MRPP também nunca esteve no governo, nem o PND, para falar de dois casos muito diferentes. E daí? Julgamos quem faz coisas, não é?
Segunda: deve saber que há muita gente no PS que há muitos anos defende uma relação diferente entre o próprio PS e outros partidos à esquerda. Isso já deu, pontualmente, alguns frutos (Lisboa, por exemplo). Há muitos nomes sonantes nessa trincheira. E alguns não sonantes. E o que essa gente sente, hoje, é que o BE, por mera táctica, está a desperdiçar uma oportunidade. Por puro cálculo, Louçã quereria empurrar o PS para os braços do PSD. Por achar que seria melhor para o país? Ou por achar que seria melhor para o BE? Isso é o que está em discussão neste post.

Joaquim Reis a 8 de Setembro de 2009 às 21:14
Penso que estou a escrever para o mesmo Porfirio Silva o do blog Machina Speculatrix, é que por altura das europeias quando se discutia a possibilidade de uma maioria nestas legislativas eu no seu blog com um nick não com o meu nome próprio, aventei essa hipótese ai você caiu em cima de mim com o carmo e a trindade, mas eu esqueço-me rapidamente e como todos sabem em termos blogueiros, se me é permitido o termo,você não é flor que se cheire.

Mas há mais, na altura foi Sócrates que afastou todas essas hipóteses de forma veemente, não deixando espaço para duvidas, com o BE nunca.

Porfírio Silva a 8 de Setembro de 2009 às 23:42
Oh Senhor, eu ando sempre com a minha cara e com o meu nome em todo o lado, nunca me escondo nem me disfarço!
Mas, mesmo assim, não percebi nada do que escreveu dizendo que eu disse. Pode citar-me, se for o caso, porque "assino sempre por baixo", como dizia o outro...

Joaquim Reis a 9 de Setembro de 2009 às 03:31
Espere.... mas sentado que eu vá à procura no seu blog de um post no dia não sei quantos de um mês que já nem me recordo.

No entanto o senhor deve saber o que defendia antes das europais, ou pelo menos aquilo que Sócrates defendia.

Porfírio Silva a 9 de Setembro de 2009 às 09:22
Vexa está a aprender depressa com os "novos mestres": faz uma acusação qualquer, não fornece nenhum dado para sustentar a acusação, e desloca o ónus da prova para o "acusado"...
Ainda mais requinte, num toque completamente roubado à velha e santa inquisição: faz uma "acusação" obscura, que nem se percebe bem o que é... já que o acusado é que tem de adivinhar o que é que o magnífico acusador quer dizer! É como aquela velha e estúpida anedota: o marido bate na mulher, mesmo sem saber por quê - porque ELA certamente saberá! Assim está Vexa. Haja pachorra!
Mas garanto-lhe que, se me explicar o que me "acusa" de eu ter dito, eu lhe explicarei o que eu quis dizer. E explicarei devagarzinho, para ser compreendido.

Joaquim Reis a 9 de Setembro de 2009 às 11:41
Porfitio Silva

Não se faça de desentendido porque o senhor não tem jeito nenhum para politico.

Não é uma acusação, quem sou eu para acusar seja quem for, é uma constatação.

Os senhores defendiam, antes das europeias, quando ainda acreditavam que podiam "sacar" uma maioria absoluta, que com o BE NUNCA que não iriam fazer acordos, uniões ou seja aquilo que for com o BE, distratando o BE a baixo de cão, após as europeias com o desaire como resultado a coisa mudou? Foi? agora já dava jeito?

PS: só para sua informação, eu sou militante do PS só que sempre acreditei e continuo a acreditar que era necessário uma coligação à esquerda.

Porfírio Silva a 9 de Setembro de 2009 às 11:53
Oh homem, eu quero lá saber de quem é que Vexa é militante! A mim o que me interessa é que vem para aqui fazer acusações que nem sequer é capaz de explicar bem, muito menos de provar, e quer que isso pareça sério. Eu tudo o que escrevo assino por baixo, não me escondo em alcunhas como Vexa confessou fazer - e por isso se quer apontar algo que eu tenha escrito no meu blogue aponte lá o que eu quero dizer e eu logo responderei. Antes disso, deixe-se de lançar fumo para disfarçar essa atitude lamentável.
Voltarei, com todo o gosto, à conversa consigo - quando mostrar o que é que eu escrevi que lhe parece assim tão estranho. Até lá: seja feliz!

am a 8 de Setembro de 2009 às 17:48
O PCP é comunista da velha guarda soviética, apenas moderado pela necessidade de se enquadrar numa democracia europeia. O PS é socialista democrático ou social democrata, por aproximação histórica pela esquerda. O PSD é social democrata, por aproximação histórica pela direita à praxis social democrata e muito pouco ideológico. O CDS é um partido menos liberal nos costumes e mais liberal na economia e do que o PS e o PSD.
O BE é o quê? Os dirigentes são comunistas, vindos do PSR, da UDP ou da Política XXI, que já vinha do PCP. Têm fortíssima ascendência da IV Internacional. Têm um discurso focado na crítica social, no qual os eleitores não vislumbram, à primeira vista, as características ideológicas; porém, as características ideológicas transparecem nas poucas ocasiões em que não conseguem deixar de apontar soluções para as questões levantadas. Acresce um aspecto de esquerda chique que tem o seu acolhimento num pequeno nicho eleitoral e nunca esteve no governo, portanto não é associado à situação política. Atingiu o limite do crescimento e metade dos eleitores (os do voto de protesto) voltarão ao PS. Poderá não ser já na próxima eleição, por causa dos conflitos em que o governo se meteu (e que o PM já reconheceu), mas voltarão.

portela menos 1 a 8 de Setembro de 2009 às 12:32
todos estes post no simplex são por causa do debate de logo?...vocês andam nervosos!

Porfírio Silva a 8 de Setembro de 2009 às 15:28
Andamos tão nervosos, mas tão nervosos, tão nervosos... que nem sei como ainda temos coragem de dar a esquerda e escrever, assinando, o que pensamos.
Eu tenho peno é dos que andam tão nervosos que já nem têm grande imaginação para inventar alcunhas criativas...

closer a 8 de Setembro de 2009 às 13:35
Este post parte de um equívoco: considerar como de esquerda as políticas de Sócrates.

Quem se deixa inebriar pela recente retórica esquerdista de Sócrates, terá certamente uma memória curta para se recordar do que foram estes 4 anos de governação do PS: um código de trabalho vergonhoso, ataques infundados aos professores, uma reforma da segurança social que reduziu drasticamente as pensões, o aumento da desigualdade, a protecção às negociatas e aos off-shores, o fecho de serviços essenciais de saúde, etc.

E depois querem que os eleitores do BE vos passem um cheque em branco. Tomam-nos por parvos? Afinal quem é que vocês querem enganar?

Porfírio Silva a 8 de Setembro de 2009 às 15:31
Oh closer, que tal ver mais de perto as políticas deste governo - em vez das palavras de ordem vazias? Pode começar por ler os posts deste blogue, a ver se areja a base de dados. Acredito que, sendo inteligente, perceberá que só palavras-leva-as-o-vento não chega para sustentar "o grito".

closer a 8 de Setembro de 2009 às 16:27
Meu caro Porfírio:

Parte de outro pressuposto errado: que eu sou inteligente.

Não, não sou! Se fosse veria a bondade das políticas de esquerda de Sócrates, mas como só digo palavras vazias e gratuitas, pode concluir, acertadamente que não sou inteligente.

Mas entretanto, mesmo sem inteligência, acedi, às actas da AR do tempo em que Bagão Félix era ministro do trabalho e em que foi aprovado o célebre código do trabalho. Sabe que com tanta pontaria que fui logo parar às declarações do então deputado Vieira da Silva. Sabe quem é? Presumo que sim. Revogaremos o código de trabalho assim que formos governo.

Sabe uma coisa, caro Porfírio? Eu não sou inteligente, mas tenho náuseas!

Porfírio Silva a 8 de Setembro de 2009 às 16:43
Talvez, em vez de tanta ginástica, pudesse fazer uma apreciação dos resultados concretos dessa legislação tão temível... O PS fez uma revisão progressista da legislação do trabalho, contra a precariedade e a favor da contratação colectiva, abrindo perspectivas de contrariar a "individualização" das relações laborais, que, essa sim, é a marca de qualquer política que quer enfraquecer o trabalho na relação com o capital. Mas, claro, seria melhor proibir os despedimentos nas empresas que dessem lucro, não era? Isso é que seria proteger o emprego, não era?

am a 8 de Setembro de 2009 às 17:06
Alguém tem a contabilidade feita e sabe dizer que partido, além do próprio PS, votou mais vezes as propostas do governo na legislatura que terminou?

Protocolos
comentários recentes
Ainda bem que procurei por ti na internet em geral...
A discussão sobre pagar a saúde de acordo com os r...
Espero que o José Sócrates faça um bom trabalho..
Boa tarde, gostava da vossa opinião.hoje dirigi-me...
EsclarecimentoA notícia é apenas sobre uma propost...
Venho por este meio relatar-vos uma situação que c...
Sou nova nestas andanças, da net (não em anos-57) ...
Obrigada pelos textos que nos deram a ler, a refle...
Estou de acordo com a ideia lançado por vocês impo...
Simplex , simplesmente. convido-os a visitarem o m...
já agora gostaria que observem uma iniciativa empr...
Estava a gostar deste blog...
Uma escrita muito pobre, na generalidade dos casos...
Estou numa dúvida: a oposição não foi eleita para ...
Posts mais comentados
88 comentários
50 comentários
44 comentários
43 comentários
38 comentários
36 comentários
27 comentários
25 comentários
arquivos
pesquisar neste blog
 

As imagens criadas pelo autor João Coisas apenas poderão ser utilizadas em blogues sem objectivo comercial, e desde que citada a respectiva origem.