Por O Jumento | Sexta-feira, 04 Setembro , 2009, 20:36

Manuela Ferreira Leite foi à Alemanha para ser recebida em audiência durante trinta minutos, sem direito a filme, nem sequer uma daquelas fotografias com o Papa que alguns dirigentes do PSD gostam de exibir nas suas escrivaninhas.

 

Foi deprimente ver uma candidata a primeira-ministra de um país europeu falar embevecida de um governante da União Europeia, explicando aos jornalistas a razão porque não podia mostrar imagens da visita.

 

Nem sequer de um governante do Burundi eu esperava espectáculo tão deprimente. Manuela Ferreira Leite tem o direito de se sujeitar aos espectáculos tristes que bem entender, mas como candidata a primeira-ministra deste país deveria respeitar a dignidade dos seus concidadãos, podemos ser um país mais pobre do que a Alemanha mas isso não nos obriga a rastejar.


Nuno Jordão a 4 de Setembro de 2009 às 20:53
Digamos que até chegar ao ponto de andar a vender Magalhães ao lado de Hugo Chavez, Ferreira Leite ainda tem muito que andar.

Pateta a 4 de Setembro de 2009 às 22:47
Deve ser mais dignificante ser vendedor do Magalhães, computadores Intel "fabricados em Portugal" (as caixas de cartão).

http://www.youtube.com/watch?v=agMEidzq67g

Há por aí ainda um outro vídeo, do Sócrates a vender um telemóvel, se não me engano com uma serie de lideres europeus a rirem-se nas suas costas, entre eles a Mercel.

Grande conceito de dignidade que você tem Jumento.


JPP a 7 de Setembro de 2009 às 01:31
Enfim, isto só pode vir de um pateta...

O Jumento a 4 de Setembro de 2009 às 23:05
Os comentários são esclarecedores, revelam que não há como defender a postura menos digna de Ferreira Leite.

Aliás, pouco digna e ridícula pois vir assegurar que haviam fotografias para provar que o encontro ocorreu não abona nada a favor da senhora.

Ok, embirrem com o Magalhães.

Filipe a 5 de Setembro de 2009 às 01:32
Ainda não sei qual o problema da venda dos Magalhães ao Hugo Chávez. Para além da possível chalaça, que maiores implicações teria isso? Ganhos para Portugal?
Parece-me bem fazer negócios com países bastante endinheirados. Estes anos não são, de forma alguma, dados a lamechices contagiadas pela politiquice.

Mas nisto concordo com O Jumento: MFL arrastou-se à Alemanhã onde, provavelmente, agastou a nossa imagem. Ah, e mais: ela é CANDIDATA e foi lá apenas para tirar proveito, isto é, uma pretensa visibilidade europeia...
Que tristeza!

Paulo Ferreira a 5 de Setembro de 2009 às 03:43
Já vi primeiros ministros a promoveram navios de cruzeiro, barcos e aviões de guerra, tractores e alfaias agricolas, petroleo e derivados, até deve haver quem tenha promovido oleo de amendoim ou oleo de palma (é facil para cada categoria escolham um pais produtor e divirtam-se no google...entre USA,UK,França,Brasil,China,India,Russia encontram quase tudo...o oleo de amendoim ou de palma deve ser mais complicado ! ).
Qual é então o problema de promover o Magalhães mesmo?
É por não matar ninguém?É por não dar para lavrar a terra?É por não dar para fritar batatas?Por favor...

Protocolos
comentários recentes
Ainda bem que procurei por ti na internet em geral...
A discussão sobre pagar a saúde de acordo com os r...
Espero que o José Sócrates faça um bom trabalho..
Boa tarde, gostava da vossa opinião.hoje dirigi-me...
EsclarecimentoA notícia é apenas sobre uma propost...
Venho por este meio relatar-vos uma situação que c...
Sou nova nestas andanças, da net (não em anos-57) ...
Obrigada pelos textos que nos deram a ler, a refle...
Estou de acordo com a ideia lançado por vocês impo...
Simplex , simplesmente. convido-os a visitarem o m...
já agora gostaria que observem uma iniciativa empr...
Estava a gostar deste blog...
Uma escrita muito pobre, na generalidade dos casos...
Estou numa dúvida: a oposição não foi eleita para ...
Posts mais comentados
88 comentários
50 comentários
44 comentários
43 comentários
38 comentários
36 comentários
27 comentários
25 comentários
arquivos
pesquisar neste blog
 

As imagens criadas pelo autor João Coisas apenas poderão ser utilizadas em blogues sem objectivo comercial, e desde que citada a respectiva origem.