Por Hugo Mendes | Quarta-feira, 19 Agosto , 2009, 00:46

A SIC passou ontem uma peça  longa onde se discute a medida do PS que motivou o debate, há umas semanas, sobre a "perseguição aos ricos". A peça é – surprise, surprise – incrivelmente negativa e tendenciosa, mas isso não é para aqui chamado. O que é verdadeiramente interessante é o argumentário apresentado pelo fiscalista de serviço entrevistado, Diogo Leite Campos. Este episódio serve que nem uma luva para testar as duas hipóteses que tinha colocado aqui há algumas semanas, onde havia escrito que os críticos (na altura referia-me a Miguel Frasquilho, mas isso não é importante aqui):

 

«compara[m] os rendimentos dos mais ricos cidadãos portugueses com a Europa e não com a população portuguesa. Aos mais ricos cidadãos portugueses não parece interessar muito que ganhem 10, 20, 30 vezes mais do que o meio milhão de portugueses que aufere o salário mínimo, mas que ganham menos que os mais ricos cidadãos franceses, ingleses, ou alemães.» [1ª hipótese]
E que:
«não deve[m] ter uma ideia muito clara da distribuição de rendimentos na sociedade portuguesa» [2ª hipótese]

O fiscalista de serviço prova que eu tinha razão. Sobre a primeira hipótese, afirma com a maior das calmas que «5800 euros por mês em qualquer pais europeu é classe média baixa». A privação relativa dos ricos portugueses deve-se ao facto de não poderem ter a mesma vida que os seus colegas franceses, ingleses ou alemães.

 

Sobre a segunda, quando o entrevistado pergunta em modo retórico como vive uma pessoa que ganha 1000€/mês, responde de seguida que 1000€ não é «classe média», é «miséria». Apetece dizer que o senhor não sabe do que fala. O salário mediano em Portugal é de 700€ – significa que metade dos trabalhadores ganha menos, e a outra metade ganha mais. Se queremos um indicador muito simples de classe média, este é um bom candidato.
A certo momento da sua “aula”, Diogo Leite Campos considera que uma família de «classe média» ganha, no mínimo, 2000€ – este não é um valor absurdo (mas abaixo disto já se é «muito pobre»). Mas é quase cómica a forma como chega a este valor. Depois de nos informar que o salário mínimo anda «à volta dos 500 €» (estamos perante um fiscalista que não sabe o exacto valor do salário mínimo nacional. 500€ será o valor a atingir apenas em 2011, de acordo com o compromisso assinado em sede de concertação social; o valor actual é 450€, e convém recordar que era 365€ em 2004), afirma que uma família de 4 chega aos 2000€ multiplicando 500€ por 4! Qualquer pessoa de bom senso sabe que uma família de 4 significa 2 adultos + 2 crianças. Espera Diogo Leite Campos que as crianças também trabalhem?

Vale a pena dizer que, na definição do fiscalista, se uma família cujo rendimento anda à volta dos 1000€ está no patamar da «miséria» (e se aufere menos de 2000€ é «muito pobre»), então - se quiserem, regressem ao quadro que apresentei aqui -, porque cerca de 60% das declarações de IRS apresentavam em 2006 rendimentos brutos anuais inferiores a 13.500€, somos obrigados a concluir que metade das famílias em Portugal vive na «miséria». E neste país “miserável”, os que ganham entre 5 mil €/mês acham-se com legitimidade para se comparar com os profissionais de outros países bem mais ricos, e para protestar quando alguém os obriga a fazer algum reality check.

Deve ser isto a que Manuela Ferreira Leite chama "sensibilidade social".

Eu tenho uma proposta alternativa para o futuro Governo: em vez de taxar mais os 5% mais ricos portugueses – porque é disso que se trata -, devia-se taxar os 5% mais ricos alemães e franceses e ingleses. São estes, bastante mais abonados, que bem podiam ajudar os portugueses “miseráveis”. É so convencer a Merkel, o Sarkozy e o Brown.

Com um bocadinho de jeito, ainda chegamos a um imposto europeu.

António da Costa a 19 de Agosto de 2009 às 10:54
O Sr. Diogo Leite Campos não sabe o que diz e diz o que não sabe, na Alemanha, a economia mais rica da zona euro, um trabalhador da Mercedez que por acaso é meu primo e vive neste pais à mais de 30 anos e trabalha na dita empresa como operário especializado, ganha cerca de 2500 euros brutos, para o dito senhor um operário especializado alemão é um miserável.

Rui Herbon a 19 de Agosto de 2009 às 10:58
Quando o indivíduo diz que, em Portugal, um agregado familiar com menos de 2000 euros líquidos (líquidos!) por mês é pobre, ia tendo um chilique.
Que uma televisão se preste a passar imbecilidades destas (num suposto trabalho jornalístico, ou seja, obrigado a factos e à verdade), sem contraponto, também é sintomático.

açoriano a 19 de Agosto de 2009 às 13:00
Acho que não perceberam o que o fiscalista quis dizer, também poderá ter sido eu. Ele falava em rendimento per capita, dando o exemplo de uma família com um rendimento global de 2000 € mês e com um agregado de 4 pessoas (marido e mulher e dois filhos), ou seja dá um rendimento de 500€ por pessoa. O Estado é que fixa o ordenado mínimo, ele arredondou para 500€, e afirmou e com alguma razão se o Estado afirma que o mínimo para sobreviver é 500€ (salário mínimo) então para um agregado de 4 pessoas o mínimo será 2000€.
Ele mais à frente na reportagem falou do termo comparativo e isso responderia aos vossos comentários.

António da Costa a 19 de Agosto de 2009 às 13:21
Mesmo assim AÇORIANO.

Vou dar o meu caso pessoal, somos 3 e o meu rendimento é de 1965 euros, um filho a estudar na universidade, casa para pagar propinas e todos os demais gastos.

No entanto o que o Senhor Diogo Leite Campos fez foi, "agarrou" em 10000 euros mensais retirou-lhe o IRS e ficou 5800 euros e disse, ipsis verbis, "em qualquer pais europeu é classe média baixa"

Se é assim eu vivo na miséria, já nem vou falar no caso de um casal a viver com 600 ou 800 euros mensais.

SeaKo a 19 de Agosto de 2009 às 15:40
Fiscalistas, Pivôs/Ficcionistas, Comentadores....como é sabido todos eles a ganharem 500€/mês e mesmo assim estão mto preocupados com a redução dos benefícios fiscais de quem ganha mais de 5000€...malandro do Socras!

Pq será???

Este tipo de jornalismo deveria obrigar a uma declaração de interesses, digo eu!

Protocolos
comentários recentes
Ainda bem que procurei por ti na internet em geral...
A discussão sobre pagar a saúde de acordo com os r...
Espero que o José Sócrates faça um bom trabalho..
Boa tarde, gostava da vossa opinião.hoje dirigi-me...
EsclarecimentoA notícia é apenas sobre uma propost...
Venho por este meio relatar-vos uma situação que c...
Sou nova nestas andanças, da net (não em anos-57) ...
Obrigada pelos textos que nos deram a ler, a refle...
Estou de acordo com a ideia lançado por vocês impo...
Simplex , simplesmente. convido-os a visitarem o m...
já agora gostaria que observem uma iniciativa empr...
Estava a gostar deste blog...
Uma escrita muito pobre, na generalidade dos casos...
Estou numa dúvida: a oposição não foi eleita para ...
Posts mais comentados
88 comentários
50 comentários
44 comentários
43 comentários
38 comentários
36 comentários
27 comentários
25 comentários
arquivos
pesquisar neste blog
 

As imagens criadas pelo autor João Coisas apenas poderão ser utilizadas em blogues sem objectivo comercial, e desde que citada a respectiva origem.